28out

Está mal no Game? Jogadores Profissionais dão aulas particulares pelo preço certo

Publicado por Fábio Zonatto

1 Comentários

Tag: Aulas Business Crossfire eSports games League of Legends Negócios Profissão Street Fighter

O eSport no Brasil ainda não é visto com tanta importância como em outros países. O que fazer para viver só de games?

Bem, os cyber-atletas já encontraram outro grande nicho de lucro: as aulas particulares. Se você quer detonar em League of Legends, Crossfire, Street Fighter ou seja lá em qual outro título for, os gamers atuantes no cenário profissional podem dar uma força – claro, por um precinho camarada.

Em matéria da Folha, figuras como Felippe Martins (profissional de Crossfire), Raphael “MousqueR” Estima (conhecido treinador de LoL) e Keoma Pacheco (que recentemente venceu a etapa brasileira do maior campeonato de Street Fighter do mundo e agora vai para o mundial) explicam como são as aulas.
 

Elas normalmente são dadas online, com os “instrutores” contratados a jogarem com seus “clientes” enquanto lhes corrigindo erros e ensinam dicas e estratégias. Normalmente o programa que utilizam para conversarem é o TeamSpeak, e através dele os profissionais vão passando as informações aos gamers – como ensinar-lhes sobre posicionamento, trabalho em equipe, montarem estratégias e adapta-las na hora entre outros truques de ofício.

Será que dá dinheiro? Pelo menos Martins e mais um amigo faturam R$60 mil ao ano somente com aulas de Crossfire. No caso de MousqueR, ele jamais chegou a jogar grandes campeonatos de League of Legends, mas suas aulas já formaram gamers que hoje são profissionais do MOBA.

Se você joga muito bem, está ai uma ideia de profissão dos sonhos!